vislumbres sobre visualidade

Posts Tagged ‘chris harrison

Lembrando-se do post de ontem? O mesmo designer Chris Harrison, após criar a visualização das referências cruzadas, decidiu criar um novo conjunto de dados obtidos a partir dos textos da Bíblia.

Ao contrário da “Bible Cross-References” que primava pelo estético, essa nova visualização se aprofundou mais na história da Bíblia em si, nos lugares e personagens, sendo só deles: 2.619 nomes. Ela se desenvolveu a partir da criação de uma ligação toda vez que dois nomes bíblicos apareciam em um mesmo versículo, o que produziu uma rede social de pessoas e lugares. Chris teve que usar um algoritmo de agrupamento espacial que ele mesmo havia desenvolvido para outros projetos já que o resultado do algoritmo não reproduzia uma ordenação ou estrutura como o “Bible Cross-References”. O resultado é esse que você vê abaixo:

 

Na rede social, entidades com menos de 40 conexões são desenhadas em um ângulo. Aqueles com 40 ou mais entidades ligadas são prestados na horizontal – tamanho é linearmente proporcional ao número de conexões. O gráfico contém mais de 10.000 conexões, demais para ser útil e, portanto, feito propositadamente fracas para não sobrecarregar a peça. Os nomes On, So e No foram excluídos uma vez que são os dois nomes e palavras já que o autor da visualização não fez um reconhecimento de entidades mencionadas ao analisar o texto.

Depois de criar a rede social, Chris possuia dados suficientes para criar uma nova visualização. Com a lista de nomes bíblicos já compilados, distribuída de forma clássica, que mostra onde várias pessoas e lugares ocorrem no texto. Grande parte da Bíblia é cronológica, para que haja uma ordenação forte temporal.

Visualmente, esta é toda a Bíblia impressa em uma única folha de papel (você precisa olhar para a versão de alta resolução para vê-lo). Flutuando sobre o texto são as pessoas e lugares que aparecem na Bíblia – mais de 2.600 nomes no total. Estes são posicionados de acordo com sua localização média no texto. Além disso, o tamanho da fonte é proporcional ao número de ocorrências no texto – o maior nome, o mais freqüentemente ele aparece. Os nomes On, Assim e Não foram excluídos mais uma vez.

A visualização tem três temas de cores. Além disso, como o gráfico é tão denso, existem duas versões extras para pessoas que realmente querem estudá-lo de perto.

A Bíblia, livro sagrado do Cristianismo escrito há três mil anos, é um dos livros mais vendidos de todos os tempos por todo mundo. Ela é divida em dois testamentos, que designam: o Antigo Testamento, a aliança que Deus fez com o povo de Israel e o Novo Testamento, a aliança que Deus fez através de Jesus. Esses são separados em livros, os livros divididos em capítulos e os capítulos em versículos.

Como a bíblia foi escrita por diversos autores e em períodos e regiões diferentes, a ocorrência de conteúdo cruzado é um ponto bastante curioso e interessante. Através da associação entre Chris Harrison, aluno do quinto ano de Ph.D.no Human-Computer Interaction Institute na Carnegie Mellon University e Ph.D na Microsoft Research e Christoph Römhild, um pastor luterano, foi criada a Bible Cross-References, que dá uma visão geral de mais de 63 mil referências textuais cruzadas dentro mesma.

Römhild entrou em contato com Harrison já possuindo um trabalho considerável de visualização que descrevia um conjunto de dados e definia referências textuais encontradas na Bíblia. Juntos, buscaram uma solução elegante para processá-los e, com a evolução do projeto, uma visualização interativa que possibilitasse uma visão adequada dos dados, onde os usuários pudessem ampliar e podar as informações em níveis administráveis. No entanto, como já existem alguns programas com essa funcionalidade, focaram o trabalho na questão estética e menos funcional. Ao mesmo tempo queriam oferecer uma leitura da complexidade dos dados em todos os níveis, resultando no diagrama de arcos multicoloridos, que você vê abaixo.

Referências cruzadas

O gráfico de barras que corre ao longo da parte inferior representa todos os capítulos da Bíblia, o comprimento de cada barra indica o número de versículos de cada capítulo. Os livros alternam de cor entre o branco e o cinza claro. Cada uma das 63.779 referências encontradas na Bíblia é representada por um único arco enquanto suas cores correspondem à distância entre os dois capítulos, criando assim um efeito arco-íris.