vislumbres sobre visualidade

Archive for the ‘design de informação’ Category

O The Occupy Wall Street moviment tem obtido grande repercussão nos Estados Unidos e no mundo a despeito da forte indignação dos americanos com os esquemas financeiros de Wall Street e dos benefícios generosos dos altos escalões de bancos e outras instituições financeiras, em contraste com uma economia americana enfraquecida, e uma grande sensação de desigualdades nos reflexos da crise americana.

O The New York Times resolveu fazer uma pesquisa de opinião para o grande publico sobre o movimento. O que chama a atenção é a forma bastante singular de representar os resultados da pesquisa. Fugindo do velho esquemão de gráfico de barras, o jornal nos apresenta um grid, com três dimensões de informação: Se você concorda com o movimento, se você concorda com os métodos do protesto e ainda os motivos que levaram a crise.

Assim, quando mais a direita e no topo, mais se concorda com as duas perguntas, sendo as respostas representadas por quadrados que vão do amarelo (maior oposição) ao verde (maior aprovação). Os ponto são as pessoas, agrupadas de acordo com as respostas sobre o movimento, cuja cor representa o que elas acham que levaram a ser o motivo da crise.

Você pode conferir a pesquisa clicando aqui.

O Density Design, laboratório da Politecnico di Milano (Itália), teve a ótima idéia de criar videos para explicar o desenvolvimento de suas visualizações de dados. O objetivo do grupo era demonstrar o potencial de se criar análises complexas sobre fenômenos sociais através de dados coletados na internet, assim como apresentar as diversas metodologias de pesquisa e as ferramentas utilizadas em cada processo.

O video abaixo é apenas um dos exemplos que encontra-se no site.

Visualizar 20 anos do comportamento e composição da economia de diversos países do mundo. É exatamente a proposta que foi apresentada em forma de um atlas pelos economiastas Ricardo Hausamann e César Hidalgo.

O projeto apresenta o perfil econômico das nações e seus potenciais de desenvolvimento econômico por diversas visualizações, diferente de tudo o que você poderia esperar de um relatório como esse. Neste trabalho, depara-se com estruturas e representações econômicas tão complexos quanto a economia pode ser, mais ao mesmo tempo o que se observa são gigantescas quantidades de dados que varrem diversos anos de análise da economia resumidas em estruturas visuais. Pode parecer difícil a primeira vista entender a complexidade das estruturas visuais criadas, mais com uma certa dose de paciência, em questão de minutos, compreensões e análises de anos de dados começam a fluir.

A ideia por trás do projeto é apresentar o potencial de desenvolvimento das nações. Economias mais diversificadas tem maiores potenciais de produzir produtos mais complexos no futuro. Para se chegar a esse potencial a educação e a conectividade individual do cidadão com o todo são críticos no desenvolvimento do conhecimento coletivo de um país. É esse conhecimento coletivo que possibilitará a diversificação da economia, uma vez que, atrai e cria industrias não existentes.

O projeto não só ajuda o cidadão comum a entender dados tão complexos e extensos, mais economistas, investidores e governos, constituindo-se como uma ferramente para ajudar pessoas e governos a entender melhor o comportamento econômico de seus países, bem como a natureza complexa da economia.

Você pode ver e interagir com o projeto aqui.

Uma das notícias mais veiculadas pela mídia nesta semana diz respeito à marca de 7 bilhões de habitantes no planeta, alcançada simbolicamente no dia de ontem, 31 de outubro de 2011.

Nesta visualização publicada no site do The Guardian, é possível comparar os dados populacionais dos anos de 1950 e 2010 de diversos países, bem como uma expectativa para o ano de 2100.

Segundo projeções das Nações Unidas, a população mundial deve chegar a oito bilhões em 2025 e a dez bilhões em 2083, mas esses números ainda podem variar dependendo de diversos fatores, como expectativa de vida, acesso a controle de natalidade e taxas de mortalidade infantil (Fonte: G1). Em 1800, a população do mundo era de 1 bilhão; em 1930, 2 bilhões; em 1960, 3 bilhões; em 1974, 4 bilhões; em 1987, 5 bilhões; em 1999, 6 bilhões; em 2011, 7 bilhões (Fonte: Blog do Tas). Esses são apenas alguns dos diversos dados apresentados em sites de notícias. O G1 criou uma animação que apresenta curiosidades com relação ao marco. Confira:

Um trabalho realizado pela colaboração de Pierre La Baume, Hentschel Karen e Tiedemann Marc, sob a orientação do prof. Boris Müller e Max Steinbeis, motivados pelo debate sobre a retirada ou permanência das tropas aliadas no conflito afegão.

The afghan conflict

Durante a pesquisa sobre o tema perceberam que esse debate está pautado não em argumentos, mas numa batalha de cenários possíveis. Assim, “The afghan conflict” é uma tentativa de um resumo desses cenários, baseado em entrevistas com jornalistas, políticos e fundações políticas. Todos os lados parecem ter suas próprias visões positivas e negativas de como as coisas acontecerão no futuro, caso determinadas etapas sejam realizadas.

The afghan conflict

O objetivo não é fazer previsões sobre o futuro, mas dar uma visão geral sobre a problemática e sobre a complexidade da mesma. O projeto se baseia em uma linha do tempo atual que se divide nos cenários prováveis discutidos. Para isso, foi utilizado um design minimalista, com apenas linhas e tipografia, sem nenhuma referência a imagens polêmicas da guerra.

The afghan conflict

Ainda, pode ser comprado um pôster com 164×90 cm através do contato pelo site.

A British Broadcasting Corporation (BBC), uma das  maiores emissoras de serviço público do mundo,  tem vinculado ao seu site de noticias, uma interessante visualização de dados.  Trata-se de uma linha do tempo interativa, que mostra fatos e acontecimentos da história da Grã- Bretanha, desde 6000 AC. Na linha do tempo podemos observar a densidade de acontecimentos de cada período,  para ler sobre os fatos  individualmente é só clicar nas bolinhas sinalizadas no mapa.  É uma útil ferramenta de estudo, de curiosidade e diversão, trazendo várias informações de forma prática e organizada.

Assim como Beatles, uma outra das maiores bandas de todos os tempos não poderia ficar de fora de ter sua história em um gráfico. As formas abstratas captam bem a estética e músicas produzidas pelo Pink Floyd, conduzindo observador a uma viagem informativa e sensorial (se estiver, assim como eu, ouvindo Pink Floyd enquanto lê o infográfico). Aqui você pode conferir outros gráficos interessantes do mesmo autor.