vislumbres sobre visualidade

Arquivo do Autor

PostHistory é mais um dos interessantes trabalhos realizados por Fernanda Viégas. Segundo a autora, grande parte da nossa experiência no mundo tem a ver com a passagem do tempo e as mudanças que ocorrem conforme  ele passa. Ficamos mais velhos, nós acumulamos coisas, e os objetos que usamos começam a mostrar sinais de desgaste. No mundo virtual, porém, as coisas sempre possuem um olhar novo e não há qualquer sentido de acumulação. Assim surgiu a motivação para um projeto de visualização que mostrasse essas mudanças no mundo virtual.

A ferramenta escolhida para essa análise visual foi o e-mail, que muitas pessoas usam o mesmo por muito tempo, e todos os dias, tratando de assuntos tanto pessoais, quanto profissionais, desenvolvendo suas relações.

O objetivo é fornecer aos usuários uma experiência inovadora e rica de suas atividades de e-mail. Com esse projeto é possível olhar para trás e perceber nossas ações no mundo digital, a fim de compreender a escala de intensidade e formas que nossas interações tomaram nesse meio.

Todas as análises no PostHistory acontecem ao nível de cabeçalhos de mensagens. Isto significa que não é possível ter conhecimento do conteúdo das mensagens.

Assim, muitas coisas podem ser observadas, como por exemplo quando é que um novo laço apareceu em seu histórico de e-mail? Quantas mensagens são enviadas para você pessoalmente, em oposição a mensagens enviadas para listas de pessoas? O quão forte são os laços em sua rede (ou seja, qual é a freqüência de contato e quanto pessoais são aqueles contatos?) Quantas mensagens são enviadas em Cc para você?  E muitos outros aspectos interessantes e curiosos que cada usuário pode vir a descobrir.

A British Broadcasting Corporation (BBC), uma das  maiores emissoras de serviço público do mundo,  tem vinculado ao seu site de noticias, uma interessante visualização de dados.  Trata-se de uma linha do tempo interativa, que mostra fatos e acontecimentos da história da Grã- Bretanha, desde 6000 AC. Na linha do tempo podemos observar a densidade de acontecimentos de cada período,  para ler sobre os fatos  individualmente é só clicar nas bolinhas sinalizadas no mapa.  É uma útil ferramenta de estudo, de curiosidade e diversão, trazendo várias informações de forma prática e organizada.

Ao longo de suas aulas de estatística, o professor sueco Hans Rosling foi percebendo que existem muitas ideias pré-definidas nos estudantes sobre temas de tendências globais, como expectativa de vida, mortalidade infantil, taxas de pobreza entre outros.  Segundo o professor, é necessária uma melhor comunicação na transferência desses dados para a população.

Pensando nisso, começou a desenvolver um software que apresentasse essas informações de forma clara, intuitiva, divertida e inovadora. O resultado mostra notícias surpreendentes sobre o desenvolvimento global, desmascarando alguns mitos existentes. Nas mãos de Hans, tendências mundiais na área da saúde e economia ganham vida. Como por exemplo, em sua relação entre taxa de fertilidade e expectativa de vida, onde ele mostra as mudanças ao longo das décadas, desmistificando a ideia de que locais com alto índice de fertilidade possuem uma menor expectativa de vida. Para isso são utilizadas bolhas coloridas representando os países, e sua variação de tamanho é proporcional ao tamanho da população, uma animação é criada para mostrar as modificações dos dados ao longo das décadas.

Nesse vídeo, Hans apresenta um pouco sobre seu trabalho e suas experiências, de forma interessante e divertida, vale a pena conferir.

Na era de troca de informações pelo meio virtual onde todos podem se manifestar, expondo fotos, pensamentos, imagens entre outros, uma questão surge como curiosidade: Será que os seres humanos se expõem mais com as palavras ou com as imagens?

Baseado nisso, “See something or say something” é um projeto criado por Eric Fischer que produz visualizações que mostram uma disputa entre twitter e flickr ao redor do mundo. No mapa aparecem pontos laranjas que representam as imagens postadas no Flickr naquela região e os pontos azuis para os tweets  feitos. Os pontos brancos aparecem quando uma imagem e um tweet são enviados no mesmo local.

Twitter e Flickr na Europa

Twitter e Flickr em New York

Cidades invisíveis é um projeto de visualização desenvolvido por Christian Marc Schmidt, designer alemão/americano e Xia Liangjie, artista e programadora de midia, que tem por objetivo criar em cima de um mapa de uma cidade real (com a ajuda de uma API do google maps) uma cidade mental.

Para isso são utilizados dados do twitter e do flickr, sempre que uma imagem ou mensagem é postada aparece em tempo real no mapa um nó na localização em que está ocorreu. A partir disso, uma elevação vai se formando de acordo com a quantidade de postagens de cada local.  Ao longo do tempo, observamos  a criação de diversas paisagens,  com montes e vales que representam áreas com alta e baixa densidade de dados, e que podem ser navegadas e exploradas.

Esse projeto cria novos reinos on-line, envolventes e tridimensionais. É uma experiência paralela ao ambiente urbano. A mistura de localizações existentes com imagens virtuais em tempo real, recria a dinâmica existente no mundo físico, onde a cidade representa as atividades humanas. E ao mesmo tempo resulta em diversas descobertas, memórias e cruzamento de informações.

“A cidade, no entanto, não conta o seu passado, mas o contém como as linhas de uma mão, escrito nos cantos da rua”

Italo Calvino, cidades invisíveis.

Abaixo um vídeo exemplo dessa visualização

A importância das redes sociais para divulgação e propagação de noticias é algo notável nos dias de hoje. Para comprovar esse fato, TweetCatch é uma visualização desenvolvida por Bruce Drummond e Nick Hardeman, que tem como objetivo analisar a natureza orgânica da noticia e como ela viaja através do twitter ao longo do tempo.

Para cumprir tal objetivo foram examinados os movimentos de artigos do New York Times, através de uma  API  do twitter que é utilizada para carregar os Tweets  que foram feitos sobre o artigo nas ultimas 24 horas.  O Titulo e a URL da noticia funcionam como palavras chaves de busca.

Os artigos são colocados no centro da visualização e organizados no sentido horário de acordo com o tempo que foram publicados. A estrutura contém 24 anéis que  representam cada hora passada no dia a partir da publicação da noticia. Os tweets para cada artigo emanam do centro para o exterior, de acordo com a hora do dia que foram feitos.

Os dados foram coletados entre 13 de novembro de 2009 e 09 de fevereiro de 2010 através de um trabalho configurado para puxar a armazenar dados localmente. O banco de dados atual é de 107 MB, com 15.327 artigos do NY Times e 311.885 Tweets para essas noticias.

O projeto Amaztype não se trata apenas de um sistema de visualização de palavras da Amazon. Desenvolvido por Keita Kitamura e Yugo Nakamura, está ligado à base de dados do site, um dos maiores vendedores de livros, CDs e DVDs na internet. Basta escolher uma palavra-chave sobre o assunto desejado para o sistema gerar uma tipografia formada com capas de livros, CDs e DVDs relacionados. O sistema ainda dispõe de informações mais detalhadas sobre cada produto, basta clicar sobre eles.

Experimente escolher o nome de um autor e ter como resultado visual as capas dos seus livros formando seu nome, ou então olhar todas as capas de CDs e DVDs de sua banda preferida formando um mosaico.

Não se propõe a ser prático e nem muito eficiente como ferramenta de busca, mas é interessante e funciona bem como diversão. Vale a pena experimentar.

Como exemplo, podemos observar esse vídeo que demonstra uma busca de livros sobre “CSS”.