vislumbres sobre visualidade

Arquivo do Autor

Quando pensamos em visualização de dados, programação é uma das primeiras coisas que vêm à nossa mente. Entretanto, a designer Stefanie Posavec mostra que há outros aspectos muito importantes inerentes ao método de desenvolvimento de uma visualização, como o levantamento e a análise de dados e seu próprio design.

Ela explica que não sabe programar e que se interessa muito pelo processo de análise meticulosa de livros, linguagem e números. Ela diz que um dos fatores que mais a interessam em visualização de dados é a possibilidade de trazer à tona informações que passam despercebidas em uma análise inicial.

Escrevendo sem palavras é um de seus trabalhos e encontra-se em nosso blog.

Anúncios

Uma das notícias mais veiculadas pela mídia nesta semana diz respeito à marca de 7 bilhões de habitantes no planeta, alcançada simbolicamente no dia de ontem, 31 de outubro de 2011.

Nesta visualização publicada no site do The Guardian, é possível comparar os dados populacionais dos anos de 1950 e 2010 de diversos países, bem como uma expectativa para o ano de 2100.

Segundo projeções das Nações Unidas, a população mundial deve chegar a oito bilhões em 2025 e a dez bilhões em 2083, mas esses números ainda podem variar dependendo de diversos fatores, como expectativa de vida, acesso a controle de natalidade e taxas de mortalidade infantil (Fonte: G1). Em 1800, a população do mundo era de 1 bilhão; em 1930, 2 bilhões; em 1960, 3 bilhões; em 1974, 4 bilhões; em 1987, 5 bilhões; em 1999, 6 bilhões; em 2011, 7 bilhões (Fonte: Blog do Tas). Esses são apenas alguns dos diversos dados apresentados em sites de notícias. O G1 criou uma animação que apresenta curiosidades com relação ao marco. Confira:

A exposição THINK, organizada pela IBM em seu 100º aniversário e que ficará em exposição até 23 de outubro deste ano, combina experiências multimídia para que o espectador reflita sobre as maneiras de melhorar o seu jeito de viver e trabalhar. E, sobretudo, como a ciência e a tecnologia tornam possíveis melhorias que as gerações anteriores sequer poderiam imaginar.

De acordo com a Intel, “conforme nossa sociedade se torna mais e mais digital, é cada vez mais importante que as pessoas entendam como a tecnologia está mediando nossas vidas e experiências. Não somos apenas observadores das inovações e avanços, mas participantes delas. Progresso tecnológico não é coisa de uma era passada que posteriormente afetou nossas vidas. É um fenômeno que existe num contínuo em fluxo constante e que transforma nossas vidas diariamente”.

Ao chegar à exposição, os espectadores se deparam com um muro que exibe visualizações de diversos dados, que vão desde dados dinâmicos sobre seu entorno, ao tráfego na Broadway, à energia solar, à qualidade do ar. Os visitantes podem observar como agora podemos ver mudanças, desperdício e oportunidades nos sistemas do mundo.

Além do muro, completam a exposição um filme imersivo e um ambiente interativo com grandes painéis touchscreen.

Assista o vídeo para saber mais:

Para mais detalhes, visite o site do projeto na IBM.

Mais um projeto desenvolvido no Laboratório da Visualidade e Visualização, As cores dos destinos turísticos brasileiros: produção de uma visualização tem como objetivo evidenciar as diferentes nuances entre 65 destinos turísticos brasileiros, destacados do site Dados e Fatos (Ministério do Turismo). A questão que se colocou, inicialmente, era qual seria um método interessante para visualizar a diversidade brasileira em seus variados climas e manifestações culturais.

Neste contexto, acreditamos que a criação de uma paleta de cor para cada destino turístico poderia funcionar como ponto de partida para uma análise mais profunda de base imagética. Dessa forma, partimos para o desenvolvimento de um método de elaboração de paletas individuais utilizando Processing (ambiente e linguagem de programação criados para para artistas e designers para desenvolvimento de imagens interativas).

Com esse objetivo, consideramos o emprego de material fotográfico de cada localidade. Optamos por obter as fotografias no site Flickr, rede social utilizada por fotógrafos amadores e profissionais para compartilharem suas fotos. Criamos um algoritmo para selecionar seis fotos de cada um dos destinos turísticos e organizá-las horizontalmente, tendo sido previamente reduzidas para o tamanho de 100 pixels na altura e largura. Para a obtenção da paleta, o algoritmo desenvolvido divide a imagem original por 15, vertical e horizontalmente, e obtém a cor do ponto central de cada setor, realizando uma amostragem das cores por meio da “grade virtual”. Assim, as cores predominantes da fotografia são dadas pela repetição em setores distintos, constituindo a paleta relativa a cada uma.

Podemos destacar, como próximas etapas: a otimização das paletas, redução da redundância nas cores de forma a facilitar a visualização da paleta cromática; obtenção da paleta de cada cidade, e não apenas de cada fotografia; e o desenvolvimento de uma interface interativa que permita ao usuário navegar entre os destinos turísticos, comparar cidades e ampliar cada fotografia.

O projeto encontra-se em desenvolvimento. Suas críticas, sugestões e opiniões são muito bem-vindas!

Cinemetrics

Posted on: 27/09/2011

Cinemetrics é o projeto de graduação de Frederic Brodbeck que tem como objetivo visualizar e comparar variações de características em filmes. São analisados principalmente a estrutura de edição, cores, a linguagem e o movimento.

Brodbeck diz que a extração, processamento e visualização de dados de filmes não podem ser obtidos manualmente, e para isso programas foram desenvolvidos para cada etapa. Essas ferramentas foram feitas para ‘dissecar’ arquivos de vídeo em seus componentes e também para criar a versão interativa do projeto, onde o usuário pode gerar e comparar visualizações de diferentes filmes. Veja a demonstração:

Para mais detalhes, visite o site do projeto.

Veja também: Tons de um filme

“The Shape of Song” é um projeto interativo que busca representar visualmente diferentes tipos de música. Neste caso, arquivos musicais em formato MIDI são analisados por meio de um aplicativo em Java desenvolvido pelos autores. De acordo com eles, arquivos deste tipo são mais fáceis de analisar por armazenarem informações sobre a partitura da música e apresentarem separações por faixas (geralmente diferentes instrumentos e vocais).

Arcos translúcidos são desenhados de acordo com os diferentes padrões musicais, permitindo que o usuário veja a “forma” resultante da análise de diferentes músicas. Ao visitar o site, o usuário pode escolher visualizar uma música disponível na biblioteca do projeto ou até mesmo fazer contribuir para o repertório com qualquer música em formato MIDI encontrada na web.

Tears in Heaven - Eric Clapton

While my guitar gently weeps - The Beatles

Like a prayer - Madonna

Visite o site do projeto para mais informações.

Tags:

A internet está em constante evolução, isso é inegável. A cada dia que passa, tecnologias são desenvolvidas e aprimoradas de modo a otimizar a experiência dos “navegantes”. O aumento da interatividade nas páginas web é um dos exemplos que ilustram essa preocupação com a imersão do usuário. Não podemos de mencionar os navegadores, parte fundamental em todo esse processo.

No infográfico a seguir, interativo, são apresentadas tanto as evoluções dos navegadores quanto as principais tecnologias que influenciaram a web desenvolvidas nas últimas décadas.

Clique aqui para saber mais detalhes deste projeto.